Informações sobre a Maçonaria em sintonia com a sociedade

TOQUES MAÇÔNICOS

TOQUE MAÇÔNICO N. 02

CARTA  CONSTITUTIVA

Nos primórdios, uma Loja era independente, formada por si só, sem nenhuma cerimônia, normalmente auxiliada por outras da vizinhança, se um numero suficiente de Irmãos decidissem formar e inaugurar uma delas.

Mas, em 1722, a Grande Loja da Inglaterra recém formada em Londres, determinou, baseada em sua importância recém adquirida, que cada nova Loja na Inglaterra deveria ter uma patente, e desde aqueles tempos todos os Irmãos que resolvessem formar uma nova Loja, empenhavam-se para obter a permissão, a certificação, em forma de carta, da Grande Loja.

Esta nova Loja ficava, então, unida e subordinada à Grande Loja da Inglaterra, como uma filial, se comprometendo em trabalhar de acordo com seu sistema, e se manter dentro dos antigos landmarks e dentro das diretrizes estabelecidas.

Então, a tal Loja era chamada justa, perfeita e regular.

Temos hoje, conforme nos orienta o Mestre Alec Mellor (Dicionário da Francomaçonaria), que nenhuma Loja ou Capitulo pode existir regularmente sem um título de constituição, chamado Carta Constitutiva (em inglês, Warrant ou Charter) que é ao mesmo tempo, a sua certificação de nascimento e, de certa forma, seu alvará de funcionamento.

Henry Wilson Coil nos esclarece que não há uma essencial diferença entre Warrant e Charter, mas ambas as palavras, nos primórdios eram usadas para descrever a autorização, emitida pelo Grão Mestre, consentida pela Grande Loja, de modo oral primeiramente, em seguida por escrito, para a constituição de uma nova Loja.

Alfério Di Giaimo Neto – M.: I.:
CIM 196017

1 Comment

  1. paulocmesquita

    Interessante é que a Maçonaria prega a supremacia do espiritual sobre o material, mas dá muito mais importância, na maioria das vezes, a questões burocráticas e materiais.

Leave a Reply