Mito e lenda, que maçom pobre não existe, que maçom nunca perde causa na justiça, que maçom nunca se aperta, pois basta fazer um “sinal secreto” e pronto! Lá estão os “irmãos” para auxiliar o apurado…
Como seria bom se essas lendas fossem reais!
Quem está do “lado de cá”, sabe bem que isso é uma utopia, uma doce ilusão alimentada pelo romantismo dos que idealizam as instituições e os homens. Se analisarmos com frieza e objetividade, veremos que a realidade é bem outra…
O Maçom, desde a sua iniciação, está obrigado a imprimir à sua existência um ritmo inflexível que o leve a cultuar a virtude. Na sua ascensão contínua em busca da Verdade e do aperfeiçoamento de suas qualidades morais, tem ele quatro espécies de deveres a cumprir: Os da Moral Individual, os da Moral Doméstica; os de caráter Cívico e os de Ordem Social.
MAÇONARIA NÃO É BILHETE PREMIADO DE LOTERIA.
MAÇONARIA É DESENVOLVIMENTO PESSOAL E INDIVIDUAL, POIS NENHUM MAÇOM PODE SE DESENVOLVER POR OUTRO.
Autoria desconhecida